Problemas na tireóide comprometem gravidez

O sistema endócrino é uma das principais redes de comunicação do corpo e controla inúmeras funções. Os hormônios agem como coordenadores de jornalismo. Se algo vai mal com eles, a informação fica comprometida. Problemas com a glândula tireóide, por sua vez, podem interferir na capacidade de engravidar.

De acordo com a doutora Silvana Chedid, especialista em Medicina Reprodutiva, pode ocorrer de um problema relacionado à glândula tireóide afetar a fertilidade feminina. “Menstruação irregular e anovulação (falta de ovulação) são comuns em pacientes que sofrem de alguma disfunção da tireóide. Sem óvulos para serem fertilizados, a concepção se torna impossível. E isso pode acontecer tanto em produz hormônios demais ou de menos”.

Mesmo quem menstrua regularmente pode ter problemas de ovulação. “Às vezes, a paciente passa anos sem descobrir o que de fato a impede de engravidar”, diz a médica. “Além disso, algumas mulheres têm uma fase lútea muito curta, que é o tempo entre a ovulação e a menstruação. O normal é que esse período seja de 13 a 15 dias”.

Doutora Silvana afirma que muitos mecanismos em que a disfunção da tireóide interfere na gravidez ainda são desconhecidos, mas não há qualquer dúvida quanto à real interferência. “O hipotireoidismo pode causar um aumento de prolactina, hormônio produzido pela glândula pituitária que induz a produção de leite materno no pós-parto. O excesso de prolactina gera impacto negativo sobre a fertilidade, comprometendo os ciclos menstruais”.

A especialista diz que o hipotireoidismo também facilita a ocorrência de ovários policísticos em algumas mulheres, comprometendo a fertilidade em alguma medida que precisa ser investigada e tratada por uma equipe especializada em reprodução humana.

Fonte: Dra. Silvana Chedid, ginecologista especialista em Medicina Reprodutiva, diretora da clínica Chedid Grieco e chefe do setor de Reprodução Humana da Beneficência Portuguesa, em SP.

0 tireóides "falaram":

Seguidores

Live Traffic Feed