Diagnóstico do Câncer de Tireóide

Geralmente, os pacientes que procuram um médico porque apresentam um nódulo no pescoço ou porque o bócio começou a crescer rapidamente. Uma vez que o nódulo foi descoberto, o médico fará um levantamento histórico do paciente e verificar se há algum sintoma que possa ser atribuído a nódulo de tireóide, tais como: tosse, dificuldade para engolir, sensação de falta de ar ou alterações da voz.

O médico irá fazer um exame físico com palpação e pode notar nódulos simples ou múltiplos ou ainda linfonodos cervicais aumentados. Neste caso, irá solicitar alguns exames de sangue para verificar o funcionamento da tiróide, tais como: dosagens de hormônios tireoideanos, T3 (radioimunoensaio de T3, triiodotironina) ;T4 (teste de tiroxina) ; exame de supressão da dexametasona (teste de supressão de cortisol), Calcitonina sérica e ACE (antígeno carcino-embrionário).

Se julgar necessário, pedirá também outros exames de imagem tais como:

Ultra-som da tiróide: as ondas sonoras apresentarão um gráfico da tiróide e este exame permite que o médico visualize o conteúdo do nódulo, principalmente se é líquido ou sólido.

Cintilografia da tiróide: a cintilografia permite detectar possíveis células anormais na tireóide.

Outros exames de imagem como ressonância magnética, Tomografia, Fdg-Pet Scan

Biópsia: uma pequena quantidade de tecido da tireóide será retirada por meio de uma agulha fina e o material será analisado microscopicamente.

A biópsia é um dos métodos mais utilizados para o diagnóstico de câncer de tireóide por ser mais simples, seguro e de baixo custo.

Mesmo sendo maligno, o câncer de tireóide, geralmente tem crescimento lento e se o paciente começa rapidamente o tratamento, as chances de cura são grandes.

FONTE: Equipe Oncoguia

0 tireóides "falaram":

Seguidores

Live Traffic Feed