DEPRESSÃO PÓS-PARTO

Depressão pós-parto estaria ligada a presença de anticorpos dirigidos contra a glândula tiróide Cientistas holandeses anunciaram a descoberta de um marcador biológico capaz de identificar as gestantes com risco de desenvolver depressão pós-parto.
Como o problema afeta 15% de todas as grávidas, os cientistas acreditam que o teste é útil, por ser capaz de dar o alerta antes do problema aparecer.
O professor Victor Pop, da Universidade de Tilburg, na Holanda, explica que mulheres com determinados anticorpos da tiróide, durante a gravidez, têm risco quase três vezes maior de desenvolver depressão pós-parto.
O estudo avaliou 310 mulheres durante a gravidez. Elas também foram acompanhadas até 36 semanas depois do nascimento do bebê.
Em cada avaliação, pesquisadores mediram o nível de anticorpos da tiróide e de depressão. Segundo os pesquisadores, o teste com os anticorpos não é um instrumento de diagnóstico de depressão.
Se for usado como exame de rotina no período pré-natal, nas primeiras 12 semanas de gestação, o teste ajuda os médicos a identificar as mulheres com risco de desenvolver depressão pós-parto. Ao detectar quais as pacientes de risco, os médicos podem ficar mais atentos aos primeiros sinais do problema.

Falta de diagnóstico

Um dos principais desafios que os profissionais de saúde enfrentam é diagnosticar e tratar a depressão pós parto.
As mulheres que desenvolvem o problema não costumam procurar ajuda médica. Mesmo quando elas vão ao médico, metade dos casos não é diagnosticada. Por isso, os cientistas acreditam que usar os anticorpos da tiróide como indicador biológico para o risco de depressão pós parto pode ser útil.
A presença dos anticorpos durante a gravidez está relacionada ao aumento de risco de distúrbios da tiróide.
Os bebês de mulheres que tiveram os anticorpos elevados durante a gestação têm maior risco de desenvolver atrasos no desenvolvimento, se não forem medicados logo as primeiras semanas após o nascimento.Estudos brasileiros A pesquisadora Maria Fernanda Barca, do Grupo do Prof. Geraldo Medeiros-Neto, do Hospital das Clinicas da FMUSP, estudou 830 mulheres grávidas, detectando anticorpos anti TPO positivo em cerca de 15% destas pacientes.A incidência de Tiroidite pós parto foi de 13,1% sendo que a maioria dos pacientes com esta patologia da tiróide apresentava anticorpos positivos já no primeiro trimestre da gravidez. No entanto a depressão pós-parto foi extremamente rara neste estudo.
É possível que outros fatores regionais tenham papel na eclosão da depressão pós parto, fatores estes não relacionados à disfunção da tiróide. Indatir, a nova filiada à TFI Em notícia publicada na edição de primavera em sua newsletter Thyro World, a Thyroid Federation International anunciou a recente filiação do Indatir aos seus quadros.
O artigo comenta ainda as iniciativas da entidade no Brasil, tanto a luta pelo acesso da população à avaliação gratuita de tiróide quanto a iniciativa de mudar a legislação do país para adição de iodo ao sal.

Fonte: INDATIR

0 tireóides "falaram":

Seguidores

Live Traffic Feed